sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Sempre mais do mesmo, só que de outro jeito

Ontem assisti ao filme "O discreto charme da burguesia" e gostei muito. A película trata sobre as desventuras de três casais amigos que tentam, sem sucesso, reunir-se em um jantar, o filme reflete a superficialidade e as antiéticas relações burguesas. Coincidentemente o filme lembrou-me um outro, "O anjo exterminador" que versa sobre um acontecimento inexplicável, os convidados não conseguem ir embora após o jantar e esse filme também expoem as frageis e débeis relações burguesas.

Ambos os filmes são do genial diretor espanho Luis Buñuel, diga-se de passagem um dos meus favoritos, embora ele sempre recorra aos mesmos temas: burguesia, Igreja e família. Todos os filme que vi dele são muito interessantes por duas razões: Todos tem o mesmo tema mas o abordam de maneira bem peculiar e todos os são diferentes entre si mas ainda assim tem a assinatura dele estampada em toda a pelicula.

É impressionante como o mesmo tema pode ser revisitado e sempre fresco, tratado por um homem que dizia que se tivesse o encontro de Fausto pediria ao diabo não a juventude de volta mas sim fígado e pulmão novos para poder beber e fumar mais, para assim produzir mais; segundo ele durante a juventude sua deliberada líbido o atrapalhava. E mesmo assim ele morreu aos 83 anos e com cerca de 35 películas.

2 comentários:

andré disse...

A diferença entre ele e eu é que eu não sou gênio, não bebo, não fumo e, sinceramente, acho que sexo não atrapalha nada, muito pelo contrário, rs...beijo!

Ana disse...

Tudo depende da quantidade... rsrs