sexta-feira, 4 de março de 2011

Comédias

Reconheço mais uma vez que os velhos eram melhores, pois as últimas realmente boas as quais assisti tem pelo menos trinta anos. Não comento isso para entrar na vibe saudosista do Pitaqueiro - que alias está bem longe de nós - mas por verificar isso nos títulos desse gênero tão injustiçado.

Atualmente as comédias seguem dois padrões: filmes água com a áçucar, mais popularmente conhecido como comédia romantica ( geralmente com a Jennifer Aniston o modelo 2.o da Meg Ryan ou a Sandra Bullock, que tratam de uma história de amor extremamente pueril e com final de contos de fadas; verdadeiras odes aos sonhos das jovens que namoram o babaca mas sonham em encontrar o homem perfeito esperando por elas em um lugar próximo e inusitado.) Os outros são uma "geléia geral" de todo o resto de comédia barata, belos corpos a mostra com piadas insuantes, escatólogia e homofobia.

Ou ainda o gênero está tão escasso que eles colocam qualquer filme que tenha mais de duas piadas como tal. Pois, até hoje não consegui entender como "Volver" e "Adeus Lenin" são comédias, a não ser que você tenha ido ao cinema com o marques de sade.

Enfim, voltando aos clássicos. Essa semana vi dois muito bons "O pecado mora ao lado" de 1955 e "Se meu apartamento falasse" de 1960, ambos do maior diretor do gênero Billy Wilder que também assina a mais aclamada comédia de todos os tempos "Quanto mais quente melhor" de 1959.

Os três filmes carregam a essência do filme de humor atual, tanto o romance como piadas sobre garotas e bebidas mas tudo isso tratado de uma forma inteligente e rica de significados.Tratando também de temas muito polêmicos para a época como sexo casual e infidelidade conjugal e alguns delicados até hoje como a beleza x inteligencia. E também sempre nos brindando com a imagem da loura mais estonteante de todos os tempo Marilyn Monroe Gisele fica no chinelo perto dela.

Poderia ficar a descorrer por páginas sobre as grandes comédias de Chaplin e Woody Allen, mas seria impróprio, então vou arrematar com um pensamento do dia. Nem todo piada merece uma risada, então nem todo filme ruim merece ser chamado comédia.

Um comentário:

rochaandre disse...

Uau! Que texto bom! só uma coisa: todo piada merece uma risada, sim! rs...