quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Calmaria...

Tudo está freneticamente calmo como se uma tempestade fosse desabar
Tudo está freneticamente calmo como se uma tempestade fosse desabar
Tudo está freneticamente calmo como se uma tempestade fosse desabar
Tudo está freneticamente calmo como se uma tempestade fosse desabar
Tudo está freneticamente calmo como se uma tempestade fosse desabar
Tudo está freneticamente calmo como se uma tempestade fosse desabar
Tudo está freneticamente calmo como se uma tempestade fosse desabar
Tudo está freneticamente calmo como se uma tempestade fosse desabar
Tudo está freneticamente calmo como se uma tempestade fosse desabar
Tudo está freneticamente calmo como se uma tempestade fosse desabar

Um comentário:

andré disse...

Então leva teu chale azul, aquele de seda branca e azul, porque vai chover e A chuva nunca pára de descer/a chuva nunca pára de cantar...Beijos!