quarta-feira, 18 de março de 2009

Ante sala do consultório

Detesto ir ao médico principalmente porque em geral esperamos três vezes mais tempo que passamos na consulta.

E não importa a hora ou o dia em que se vá sempre tem uma criança maldita gritando e correndo de um lado para o outro em meio a muitas pessoas doentes e em sua grande maioria idosas; mas o que mais me impressiona não é o pequeno anjo do inferno que corre é a mãe (ou o acompanhante) que vê o infeliz correndo e no máximo fala para ele sentar, o que ele faz durante trinta segundos e recomeça o estardalhaço.

Sempre volto triste do dermatologista
.

3 comentários:

andré disse...

Pequeno anjo do inferno foi ótimo!rs...e faz sentido, se chamam as crianças de anjinhos elas são domoninhos, pois o anjo que foi expulso do céu foi o capeta!rsrsrs...quanto a doença, não tem jeito, tem que tratar pra amenizar até que algum amigo do Montanari descubra um remédio eficiente, rs...beijos!

Ana disse...

Nunca vai ter cura, pois ninguém ganharia um prêmio nobel por ela. É muito mais interessante para a indústria farmaceutica a doença ser crônica e cara de tratar..rs
Beijo!

Sandrinha... disse...

Hahauha tbém adorei a do "Anjo do Inferno"!!!
Fica triste não, um dia vai aparecer um jeito mais eficiente de tratar...
bjoss